quarta-feira, 5 de junho de 2013

Capitulo 8 - Eu desejava protege-la

Olha eu aqui de novo amores! Bom, 4 comentários é bem mais do que eu esperava kkkkkkkkkk' na verdade eu não esperava nenhum mais ok. Bom, aqui estou eu com mais um capitulo! Eu não respondi os comentários porque eu fiquei com preguiça amores, me desculpem! espero que gostem!
XOXO Gaby

-----------------------------------------------------------------------------------------------
Joe On 
O sinal tocou e eu me despedi de Miley. A aula toda foi como sempre muito entediante, mas eu estava animado, tinha planos para hoje a tarde. 

Como sempre todos comentavam sobre os testes para a nova peça de teatro do colégio e das vagas que estavam abertas. A peça desse ano seria "Romeu e Julieta"! Não poderia ser mais clássico não é? 

Demi faria um teste hoje para o papel de "Julieta" e por isso todos sabiam que não tinham a miníma chance, pois Demétria Devonne Lovato era a melhor atriz do colégio. A que ganhava todos os principais. 

E como toda princesa tem o seu príncipe, Demi não ficaria de fora. Wilmer, um garoto bem desejado aqui do colégio, iria fazer o teste para o papel de "Romeu". Isso também não era novo! Wilmer amava teatro e coisas dessa linha, diziam até que ele já faz peças fora da escola, o que eu não duvido, talento o garoto tem de sobra. 

E isso era mais preocupante e assustador pra mim e para o meu plano. Eu teria que ser muito bom para colocar o meu plano em prática. 

Logo que o sinal bateu, arrumei minhas coisas dentro da mala e sai rumo ao lugar ideal para colocar meu plano em ação. Agora, era sentar e esperar! 

Demétria Devonne Lovato, será minha amiga, nem que seja a última coisa que eu faça! 

Nick On 
Eu estava um pouco assustado com toda aquela história de compor. Na verdade eu compunha quando era garoto, mas digamos que de uns tempos pra cá eu não tenho mais praticado. 

As aulas passaram voando, talvez porque eu estava animado para tentar a compor de novo e Demi me parecia uma ótima companhia. Olhei no relógio e lembrei que ela tinha aula de teatro, então resolvi passar na cantina e comprar alguma coisa pra comer porque eu não tinha treino e não daria tempo de correr em casa pra comer alguma coisa. 

Fui descendo as escadas do pátio cantando alguma música do Elvis quando eu ouço aquela voz que ultimamente me faz tremer da cabeça aos pés e me faz suar rios. 

Miley: Olha, quem diria que você ainda cantava. Achei que nem ligava mais pra isso. - Ela deu aquela risadinha de lado. 

Arregalei os olhos e instantaneamente um sorriso se fez no meu rosto.

Nick: Ah qual é, você também canta. - eu ri 

Miley: Cantava! - ela deu enfase no verbo no passado. - faz tempo que eu não tento. 

Nick: Poxa, a música era sua vida! - eu disse assustado. - isso é meio estranho. 

Miley: Eu toco alguns acordes na minha guitarra de vez em quando mas nada mais do que isso. - ela deu de ombros. - eu mudei muito. Sinto falta de cantar e não me sentir estranha. 

Ouvir aquilo me fez estremecer. O que ela estava me confirmando era que, assim como eu, ela também não era a mesma. Ela tinha mudado. Raramente você a via sorrir, quando no passado o que ela mais fazia era isso. Eu não conseguiria aceitar o fato de que eu não a conhecia tão bem como antes. Era uma sensação horrível, eu diria insuportável. 

Nick: É uma pena, porque a sua voz é a mais perfeita que eu já ouvi. - eu tentei sorrir. 

Miley: não exagera. - ela abaixou a cabeça demonstrando estar envergonhada.  - Eu era boa mais nem tanto. 

Vi em seus olhos um pouco de magoa. Parece que de uma hora pra outra a música parou de ser a sua melhor amiga para ser aquela a quem traz as lembranças que mais machucam. E eu entendia muito bem que lembranças eram essas. 

Nick: Miley você sente falta do seu pai não é? sente falta da relação que vocês tinham antes de ele começar a trabalhar! - eu disse sem pensar. 

Pude vê la engolindo seco. Ela abaixou um pouco a cabeça e eu tinha certeza de que havia lágrimas em seus olhos. Ela pode ter mudado, mais continua sendo a mesma por dentro. 

Miley: Eu nunca falo sobre isso. - pude ouvir sua voz embargada. 

Nick: Não é verdade. Você já conversou comigo sobre isso. - eu disse fazendo-a lembrar da noite em que ela me contou como sentia falta de seu pai e me lembro de até vê la chorar. 

Ficamos em silêncio por um tempo e eu pude perceber ela passando a mão pelos olhos. ela estava chorando! Ali, na minha frente, de novo. 

Eu dei dois passos pra que ficasse mais perto dela, e passei os meus braços em volta dela puxando-a para um abraço. Eu gostava do seu abraço, eles eram sempre tão calorosos e verdadeiros que faziam qualquer um se sentir melhor. 

Miley já chorava, como uma criança. Eu sabia muito bem porque, e vê la chorando fazia meu coração apertar e algo dentro de mim queria enfiar a mão dentro de seu peito e tirar toda aquela dor ali. Eu desejava protege-la. Eu precisava protege-la. 


5 comentários: